COMO FUNCIONA ?

Sistemas fotovoltaicos

Os Módulos Fotovoltaicos, são compostos por células fotovoltaicas que são feitas a partir de materiais semicondutores (normalmente o silício), que captam a radiação solar e convertem em eletricidade.

Para que essa energia possa ser utilizada por todos os equipamentos elétricos, é necessário o Inversor que é responsável por converter a energia em corrente contínua do arranjo fotovoltaico para corrente alternada dentro dos padrões da rede pública de distribuição.

Desde 2012, através da REN 482/2012 - Aneel, estão definidas as condições para acesso a micro e mini geração distribuída e assim as diretrizes dos sistemas de compensação de energia elétrica.

Os sistemas fotovoltaicos geram energia durante o dia, e alimentam toda a demanda instantânea da Unidade Consumidora, caso haja mais geração do que consumo, essa energia irá ser injetada diretamente na rede, sendo contabilizada pelo medidor bidirecional. Neste período ocorre a geração de créditos de energia.

Em momentos onde há maior consumo e menor ou nenhuma geração, a rede supre essa demanda. Ao final do mês a Unidade Consumidora irá pagar pela diferença entre a energia utilizada da rede e o montante injetado pelo sistema fotovoltaico.

O que muda?

O sistema fotovoltaico é instalado na Unidade Consumidora sem nenhuma mudança nas instalações elétricas. A troca do medidor convencional pelo medidor bidirecional é de responsabilidade da concessionária e na maioria dos casos não gera custos para o cliente.

Vantagens

  • Não consome combustível;
  • Não produz poluição nem contaminação ambiental;
  • É silencioso;
  • Tem uma vida útil superior a 25 anos;
  • É resistente a condições climáticas extremas (granizo, vento, temperatura e umidade);
  • Não tem peças móveis e, portanto, exige pouca manutenção;
  • Permite aumentar a potência instalada;
  • VALORIZA SEU IMÓVEL;
  • RETORNO DE INVESTIMENTO GARANTIDO.

Modalidades da compensação de energia

A REN 482/2012 - Aneel foi atualizada pela REN 687/2015, apresentando maiores possibilidades para os micro e mini geradores.

Autoconsumo Remoto Geração Compartilhada Empreendimento com múltiplas unidades consumidoras
Caso a geração seja maior que o consumo, é possível enviar créditos de energia para outras Unidades Consumidoras, desde que no território da mesma concessionária de energia e mesma titularidade de Pessoa Física ou Jurídica (ex. empresas Matriz e Filial). Na geração compartilhada, pessoas físicas e jurídicas, de CPF e CNPJ enquadrados na mesma concessionária de energia, podem compartilhar a geração de energia comprovando o vínculo entre os integrantes (cooperativa ou consórcio). Assim é possível dividir os créditos de energia nas proporções que cada cliente tem direito. Condomínios horizontais ou verticais, podem instalar sistemas fotovoltaicos onde será abatido o consumo das áreas comuns. Outra forma é quando os condôminos optam por fazer parte do investimento e receber créditos de energia.

Obs: caso o cliente não participe de nenhuma dessas modalidades para compensação dos seus créditos de energia, esse montante deverá ser utilizado pela própria Unidade Consumidora dentro de 60 meses.